Os Doze Trabalhos de Hércules - Parte 2

Os Doze Trabalhos de Hércules - Parte 2

Viktor D. Salis

sinopse

É emblemático que ele fosse um homem fortíssimo e que, no entanto, em todos os trabalhos sua força física se revelasse inútil. Ou seja, o mais forte dos mortais teria de realizar tarefas dificílimas, abrindo mão de sua força física. Por outras palavras, teria que aprender a trilhar não o caminho da brutalidade, mas da iluminação e da sensibilidade. É importante observar que era para os gregos um herói nacional, modelo de conduta, especialmente para os jovens. Isto significava que desde cedo o jovem aprendia a abrir mão da força bruta e do instinto cego, e a desenvolver sua sensibilidade, intuição e civilidade. Mais ainda, Hércules somente obtinha sucesso em suas empreitadas quando ajudado pela deusa Atená, que significava a sabedoria, por Eros, símbolo do amor, e por Hermes, que lhe dava os caminhos da inteligência e da sensibilidade.

começar a ouvir amostra

Você também pode gostar :)

Os títulos que podem te interessar, de acordo com suas escolhas recentes.