Histórias sem data(1884)

Histórias sem data(1884)

Machado de Assis - Lisboa

sinopse

Histórias sem data reúne 18 contos de Machado de Assis publicados ao longo de 1883 em periódicos cariocas. Este quarto livro de contos tem todos os ingredientes que fazem de Machado de Assis um contista modelar. Desde os chamados “perfis femininos” até sondagens mais profundas da alma humana, em que investiga, recorrentemente, a diferença entre a “alma exterior” e a “alma interior”, como já definira o narrador Jacobina, de O Espelho (Papéis avulsos, 1882), passamos por histórias de loucura, tema freqüente do autor, e somos levados por diferentes narradores, a passear pelas ruas e bairros de um Rio de Janeiro que não existe mais. Os contos de Histórias sem data são: 1.A Igreja do Diabo - Este conto presenta a história do dia em que o diabo resolveu fundar uma igreja, a fim de concorrer com as diversas religiões. 2.O Lapso - Neste conto, o protagonista, Dr. Jeremias Halma, é um médico que trata exatamente das "doenças da alma", podendo figurar entre aqueles personagens machadianos dotados de traços semelhantes aos de um analista. 3.Último Capítulo - O conto Último Capítulo é o bilhete de um suicida. Narrado em primeira pessoa, Machado de Assis nos traz a figura sombria do bacharel em direito, Matias Deodato de Castro e Melo, de 51 anos de idade, que está prestes a cometer o suicídio, no ano de 1871, e começa a explicar a razão dos termos de seu testamento, no qual dispõe que sejam seus objetos e um casebre que possui vendidos, e o dinheiro revertido na compra de sapatos e botas novas, a serem distribuídos conforme indicação sua. Assim, Matias Deodato resume a falta de sorte que o acompanhou por toda a vida, até que, cansado e sem esperança de ser feliz, desiste de viver. No fim, ele (Matias) passagem a mensagem que deseja que toda o seu dinheiro seja convertido na compra de botas novas, para que outros, menosvalidos, encontrassem seus caminhos no mundo, já que ele não consegui encontrar os seus, como se percebe na passagem " Debruçado na janela, vê passar um homem conhecidamente vítima de vários infortúnios, que segue, no entanto, risonho, contemplando os sapatos de verniz bem talhados, conforme observa nosso caipora. Ia alegre| via-se lhe no rosto a expressão de bem-aventurança. Evidentemente era feliz| e, talvez, não tivesse almoçado| talvez mesmo não levasse um vintém no bolso. Mas ia feliz, e contemplava as botas (...) nada vale, para ele, um par de botas, comenta ele, concluindo assim que a felicidade é um par de botas. Daí a razão do testamento de Matias Deodato, que acredita, com a ação, fazer um certo número de venturosos, e conclui sua narrativa com a expressão Eia, caiporas! Que a minha última vontade seja cumprida. Boa noite, e calçai-vos!." 4.Cantiga de Esponsais - Tem como tema principal a música, o ato da criação musical. 5.Singular Ocorrência - Este conto é o relato de um homem a um amigo sobre o caso extraconjugal de um outro amigo. Ele conta que esse amigo e a amante eram apaixonados (ela abandonara a prostituição por ele) e que, numa única vez, o havia traído. E foi este caso que gerou um grande turbilhão emocional que quase acabou no rompimento e suicídio da amante, mas eles por fim se reconciliaram e viveram felizes até que ele mudou de província e morreu antes de voltar. A traição de uma ex-prostituta, de caráter irreprochável, em relação ao amante, é narrada sem que nenhum dos interlocutores do conto consiga encontrar uma explicação racional para o fato. Em Singular Ocorrência o autor afasta-se do narrador e deixa o leitor identificar-se consigo mesmo na pessoa do herói-narrador. Não existe neste conto um narrador explícito, entretanto, no diálogo desenvolvido pelas personagens evidencia que existe uma outra narrativa dentro da primeira, pois fala da história de uma mulher que foi avistada pelas personagens que realizam o diálogo inicial. Portanto, Machado de Assis soube utilizar-se da técnica narrativa do diálogo com perfeição, não havendo, neste caso, a necessidade de utilização de um narrador interferindo na história vivida pelas personagens. Sem, no entanto, deixar de fazer uso da interferência e juízos de valor quando passa a uma das personagens o papel de narrador para contar a história de Marocas. 6.Galeria Póstuma - O conto narra a história de um rapaz que encontra o diário de seu tio, falecido recentemente, e descobre a surpreendente opinião do homem sobre as pessoas que o cercavam, incluindo o rapaz. É uma crítica à hipocrisia. 7.Capítulo dos Chapéus - Neste conto Machado de Assis discorre sobre um desejo reprimido que reaparece, deslocado, mas que perturba a jovem Mariana. 8.Conto Alexandrino - Conto em que o cientificismo naturalista da época vem satirizado, onde Machado de Assis busca dar uma força de realidade à sua ficção. Seu interesse não é meramente realizar um exercício formal, mas dar "realidade à invenção". Os protagonistas Pitias e Stroibus são cientistas, que vão para Alexandria em busca do reconhecimento e a ação principal envolve uma pesquisa científica. Eles

ler agora Adicionar a lista de desejos

Leia também em Contos e Crônicas