Boneca de Pano

Boneca de Pano

Edir Araujo - bibliomundi

sinopse

O autor usa uma estratégia (comum em seus romances) inserindo anedotas, algumas picantes, cuja intenção é abrir uma breve lacuna para distrair o leitor. Também chamado 'digressão', cujo fim é desviar do assunto tratado. Recurso literário muito utilizado por Machado de Assis para detalhar, ilustrar ou criticar um assunto. Em 'Boneca de Pano' é uma quebra sutil, com a intenção de desanuviar a aura pesada que paira sobre a leitura. Sua intenção é atenuar o ranço de morbidez que predomina seu texto ao tratar de um tema tão impactante como é o estupro e a pedofilia, causando nos leitores um choque emocional e moral. Um livro que vai quebrar a sua rotina de leitura. O tema é universal, instigante e sempre atualíssimo. Neste livro o autor teve que 'incorporar' uma mulher: Samantha. Penetrar no universo feminino. Destarte, foi uma experiência muito importante. Poucos autores tem essa capacidade. Este é o seu quarto livro e essa qualidade torna o livro 'Boneca de Pano' realmente especial. Um livro de extremos, sensações extremas, que se manifestam intensamente. Tudo é excessivo, ardente, forte, profundo. Atingindo todas as dimensões do espírito humano. Palavras, setas disparadas em várias direções, mapeando sem meio termo todos os extremos da dor, da solidão, do sexo, do vício, da crueldade, da sordidez, da decadência moral, da indignidade humana, etc. Uma incansável busca pelo tempo, perdido, roubado, e que chega tardiamente, para consolar o coração daquela inocente criatura (Samantha) que foi lançada ao poço de podridão, cuja superação nos causa perplexidade, profundo respeito e admiração

94 páginas

Acessar agora

Leia também em Drama