Dispersão & Indícios de oiro

Dispersão & Indícios de oiro

Mário de Sá-Carneiro - Editora Moinhos

sinopse

Mário de Sá-Carneiro é um dos escritores mais conhecidos da literatura portuguesa. Foi um dos responsáveis, ao lado de Fernando Pessoa e Almada Negreiros, pelo movimento Modernista em Portugal. Mesmo tendo nos deixado muito novo, em apenas um curto período de tempo (de 1912 a 1916) conseguiu escrever uma obra significativa. Para Rafael Santana, que assina a apresentação deste livro, Sá-Carneiro "foi aquele para quem vida e arte eram considerados termos indissociáveis, e não foi por acaso que ele próprio sinalizou "a tristeza de nunca sermos dois" ao final de "Partida", o primeiro do conjunto de 12 poemas que reuniu sob o título de Dispersão (1913)". Mário de Sá-Carneiro, que não afirmava ser poeta, mas apenas um prosador, além deste livro teve outras incursões pela poesia. Indícios de oiro (1915) foi uma delas, e só veio a ser publicado postumamente, 21 anos depois. Sua publicação só foi possível porque, antes de morrer, Sá-Carneiro enviara os poemas para Fernando Pessoa ficar responsável pela edição. Neste livro, também, estão alguns dos poemas que publicou no primeiro número da revista Orpheu.

92 páginas

Acessar agora

Leia também em Contos, Crônicas e Poesias