É Possível ser um Bom Professor? O Pensamento Ecossistêmico na Educação Superior

É Possível ser um Bom Professor? O Pensamento Ecossistêmico na Educação Superior

Idalberto José das Neves Júnior e Luiz Síveres - Editora Appris

sinopse

O livro É Possível Ser um Bom Professor? O Pensamento Ecossistêmico na Educação Superior aborda o exercício da docência na educação superior sob o olhar do Pensamento Ecossistêmico, com possibilidade de descrever um bom professor. A problemática de pesquisa está em fazer a passagem de um professor para um bom professor, em instituições que ainda continuam disciplinares, sistematizadas e burocratizadas, de uma Universidade-Fruto (artesão, sistemático) para Universidade-Semente (artista e ecossistêmico). O questionamento deste estudo é como o Pensamento Ecossistêmico, pautado na complexidade e na transdisciplinaridade, poderia contribuir com uma pedagogia capaz de revelar bons professores. O Pensamento Ecossistêmico, concebido por Moraes (2004; 2020), e as dimensões do estímulo intelectual e do relacionamento interpessoal, de Lowman (2004), evidenciam o constructo teórico deste estudo. Foram realizadas pesquisas com 1009 alunos e oito professores de universidade brasileira e quatro professores de universidade canadense. Os principais resultados deste estudo evidenciaram achados importantes para a compreensão da figura de um bom professor na educação superior, tais como: os estudantes idealizam um bom professor com características homogêneas, independentemente da área de conhecimento; proposição de descritores de um bom professor para o exercício na educação superior; o estabelecimento de quatro categorias para a descrição e análise das entrevistas: perfil dos professores, como o professor se relaciona com os discentes, como o professor se relaciona com os conhecimentos e práticas educativas empreendidas pelo professor; os professores entrevistados apresentam aderência de suas práticas didático-pedagógicas aos elementos teóricos do Pensamento Ecossistêmico, o que os caracteriza de abordagem ecossistêmica, vinculando-os à figura de um bom professor; nova compreensão sistêmica entre os constructos teóricos deste livro, resultando, em suas conexões e relações, em uma abordagem complementar, entre o Pensamento Ecossistêmico e as dimensões do estímulo intelectual (relação com os conhecimentos) e o relacionamento interpessoal (relação com os discentes), subsidiando o agir pedagógico de bons professores; proposta de formação de professores para universidades, em iniciativas de Gestão por Competências, Programa de Educação Continuada e Programa de Reconhecimento de Professores.

187 páginas

Acessar agora

Leia também em Estudos e Concursos