Remate de Males

Remate de Males

Mário de Andrade - Editora Serra Azul

sinopse

Publicado pelo próprio autor em 1930, em Remate de Males, Mário de Andrade assume uma postura mais reflexiva em relação à vida e à sua própria obra. No poema que abre o livro, "Eu sou trezentos...", o poeta já assume o compromisso de abrir sua poética a toda a diversidade que constituí não só o Brasil, mas a própria vida. Tendo realizado em 1924 fez sua primeira viagem de pesquisa, ao interior de Minas Gerais, com outros modernistas brasileiros e o francês Blaise Cendrars, Mário viajou a pesquisa ainda à Amazônia (1927) e ao Nordeste (1928). É em sua viagem à Amazônia que o autor fica ao mesmo tempo encantado e intrigado com nome de um município em meio à floresta, Remate de Males, à margem do rio Itaquaí. Essa é a origem do título desse volume que mescla inovações formais, como no longo poema Danças, em que as palavras se espalham pela página em disposições inesperadas, com um lirismo mais pungente, como no poema Aspiração, em que a preocupação gráfica fica em segundo plano para dar ênfase à comunicação mais intimista: " Doçura da pobreza assim... / Perder tudo o que é seu, até o egoísmo de ser seu..." Neste livro, o humor típico da Semana de 22 vem acompanhado do "é noite e tudo é noite", que será a tônica de Lira Paulistana, de 1945"

80 páginas

Acessar agora

Leia também em Contos, Crônicas e Poesias